Influenza (Gripe)

Influenza (Gripe)

virus3.jpg

A infecção pelo Influenza (vírus) pode ocorrer o ano todo, todavia a incidência aumenta os meses mais frios no sul do Brasil. O período de incubação é de um a quatro dias e o vírus pode ser transmitido antes mesmo dos sintomas iniciarem até 3 dias após terminar a febre. Em crianças e imunossupressos a transmissibilidade pode se prolongar. A infecção sintomática costuma durar uma semana, mas  a tosse e mal estar podem durar por semanas.

Síndrome Gripal:

É caracterizada a síndrome gripal todo o paciente que apresenta febre acompanhada de tosse ou dor de garganta e pelo menos um dos seguintes sintomas: cefaleia (dor de cabeça), mialgia (dores no corpo) ou artralgia (dores nas articulações), na ausência de outro diagnóstico específico (protocolo tratamento influenza MS 2013). 

A Síndrome Gripal pode evoluir para Síndrome Respiratória Aguda Grave - casos grave de influenza -  e o objetivo principal do tratamento é evitar essas complicação.

Tratamento:

O tratamento precoce com oseltamivir (Tamiflu®) está indicado para pacientes com síndrome gripal, independente do estado vacinal.

Vacina:

Recomendo vacinação anual para Influenza para todos os pacientes, exceto aqueles com alergia a vacina.

 Resfriado comum:

O resfriado comum não é o mesmo que Gripe (influenza). O resfriado comum se apresenta com sintomas respiratórios em vias aéreas altas como dor de garganta, coriza, congestão nasal, espirros, etc. Diferente da influenza, o resfriado comum não costuma causar sintomas sistêmicos como prostração, astenia, mialgias e febre alta. O tratamento do resfriado comum é apenas com sintomáticos e ele geralmente é mais brando que a gripe.

 

 

 

Renato Cassol - Médico Infectologista

Porto Alegre - RS