Herpes Simplex

image.png

Herpes Simplex Labial ou gengivoestomatite herpética

A principal forma de expressão do vírus herpes simplex (HSV-1) é a gengivoestomatite herpética. O herpes labial é caracterizado por surgimento de úlceras orais ou labiais dolorosas e recorrentes de tamanho aproximado de 2 a 8mm em 80% dos casos. Geralmente as lesões cicatrizam em até 14 dias, quando não tratadas. A infecção oral pelo herpes simplex tipo 2 também pode ocorrer. A primeira infecção pelo vírus costuma ser a mais exuberante e, após o paciente infectado, não é mais possível atingir a cura, apenas tratamento. Existe ainda a possibilidade do HSV fazer úlceras maiores (>1 cm), mas isso é mais raro, são mais dolorosas e mais duradouras (várias semanas) e geralmente no dorso da língua e pálato duro (periadenite necrótica recorrente). 

Herpes Simplex Genital

O vírus genital do herpes simplex (HSV-2) é uma das doenças sexualmente transmissíveis (DST) mais comuns no mundo. A transmissão desses vírus (HSV-1 & HSV-2) não é exclusiva pela via sexual, podendo ocorrer também durante o parto vaginal. O herpes genital é uma DST crônica, não apresenta cura, apenas tratamento. Ambos os vírus da herpes (HSV-1 & HSV-2) podem causar a doença e permanecem latentes nos feixes nervosos sacrais. Uma vez atingida a fase latente o vírus fica albergado nos feixes nervosos e nem a resposta imune do hospedeiro ou os agentes antivirais são capazes de erradica-lo.

O tratamento com antivirais sistêmicos resulta em significante melhora dos sintomas da doença e, apesar do aciclovir ser o agente mais utilizado na última década, outros novos e potentes antivirais estão disponíveis no mercado, na maioria, com posologia mais conveniente. 

Primeiro episódio de herpes genital

O primeiro episódio ocorre após o contágio com o vírus, em média, o tempo de incubação é de 7 dias (podendo variar de 1 a 26 dias após o contágio). A doença pode ser assintomáticatanto no primeiro episódio quanto na herpes genital recorrente. Para aqueles pacientes que possuem sintomas o primeiro episódio de herpes genital costuma ser mais exuberante. O tratamento, quando necessário, também é diferenciado.

Herpes genital recorrente

O herpes genital recorrente é aquele que ocorre por reativação do vírus incubado, pode ser assintomático ou sintomático. Naqueles sintomáticos as lesões bastantes dolorosas -tipo pequenas "bolhas"- acometem a região genital. Nessa revista médica CID 1999;28 (Suppl 1) Genital Herpes Therapies diversas terapias, tanto para previnir o herpes quanto para o tratamento, foram testadas. Segundo a publicação, na terapia supressora do herpes genital a dosagem recomendada de famciclovir é maior que aquela usada para o tratamento dos episódios recorrentes. Existem protocolos de tratamento para herpes genital recorrente.

Herpes genital e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

As úlceras genitais sintomáticas decorrentes da infecção pelo herpes genital causam inflamação local, rompimento da integridade da mucosa e provavelmente o aumento seletivo de linfócitos TCD4+, fazendo com que essas lesões sejam portas facilitadoras de entrada do vírus do HIV/Aids assim como outras DST.

 

Renato Cassol - Médico Infectologista

Porto Alegre - RS